Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rabiscos de um Maldisposto

Olá, bem-vindo ao meu blog!

Rabiscos de um Maldisposto

Olá, bem-vindo ao meu blog!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Ainda a propósito daquele adolescente que decidiu espancar o próprio cão só para ter cinco minutos de popularidade, acham que ele vai ficar por aqui? Eu acho que não. O próximo passo será muito provavelmente violar uma criança e colocar o vídeo na Internet. Sim, porque isso, creio eu, que ainda não foi feito por nenhuma destas novas “estrelas da Internet”, que buscam popularidade à custa de actos completamente absurdos.

E a solução também não passará por prometer um autêntico linchamento a estes vermes, nem tão pouco passar à real acção. Qualquer acção física, apenas irá adormecer estes parasitas, pois o medo será temporário. Portanto, acho que a sociedade terá um papel mais interventivo, mas jamais poderá partir para a justiça popular.

Os maus-tratos a animais não são de agora. Lembro-me que havia uns quantos marginais adolescentes no meu tempo de secundário que costumavam matar gatos nos trilhos de comboio ou afogando-os nos cais. A única diferença era que nenhum daqueles anormais tinham ainda a possibilidade de gravar e partilhar com milhares de pessoas, e portanto o assunto acaba por morrer naquele núcleo de pessoas. É que hoje, por muito que um individuo se arrependa, essas imagens jamais deixarão de estar na Internet. Os actos mal medidos de um adolescente que se encarregou de cometer tamanha estupidez irão persegui-lo até ao fim da vida dele.

E a culpa será de quem? Dos pais? Dos professores? Da sociedade? Se calhar a culpa é de todos, não? Está na altura da sociedade começar a perceber que tem culpa na forma como está a lidar com estas situações e entender que não está a conseguir ser eficaz no combate à anormalidade juvenil. Sou de acordo que os professores actualmente deveriam ter mais poder nas salas de aula. Actualmente os jovens passam cada vez menos horas com os pais e passam demasiadas horas na escola, e por isso não tenho muitas dúvidas que alguns professores até já conhecem melhor a personalidade de algumas crianças do que até os próprios pais.

Esta geração “reality show” está a começar a dar os primeiros passos em Portugal graças às redes sociais. Cabe-nos agora conseguir lidar com este enorme problema.

1 comentário

Comentar post

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Mais sobre mim

foto do autor

Posts recentes